Acordo de livre comércio com a UE tem alta prioridade, diz Kátia Abreu em Bruxelas

A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) reforçou nesta terça-feira (26/05), no Parlamento Europeu (PE), em Bruxelas, que o setor produtivo e o governo brasileiro atribuem “a mais alta prioridade ao acordo comercial Mercosul-UE”.  A ministra disse ainda que o Brasil quer um acordo sanitário e fitossanitário com o bloco europeu, a fim de estimular o comércio de animais, plantas e seus produtos, de ambos os lados.

Kátia Abreu foi recebida pelos eurodeputados, membros da Associação EUBrasil: Viorica Dăncilă, vice-presidente da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (AGRI) do PE; Carlos Zorrinho, vice-presidente da Delegação do Brasil no PE; Jan Huitema e Albert Dess. A ministra participou de um debate promovido pela comissão AGRI.

cxx“Estamos dispostos a negociar para chegarmos rapidamente à conclusão do acordo e esperamos sinceramente que as questões relativas à agricultura não sejam um obstáculo”, afirmou a ministra. “Nós queremos convencer os europeus de que um acordo sanitário (bilateral) seria uma grande sinalização para esse acordo amplo (livre comércio Mercosul-UE)”, completou. Os europeus possuem acordos desse tipo com outros parceiros estratégicos, como China e Estados Unidos.

A ministra reconheceu que o Brasil “não é inteiramente aberto ao comércio”, mas reiterou que “o destino da economia hoje é integrar-se e superar as barreiras”.

A eurodeputada Dăncilă foi uma das que reforçou a parceria econômica entre Brasil e UE. “Acredito que o desenvolvimento das relações comerciais entre o Brasil e a UE seria bom para ambas as partes. O diálogo estruturado sobre a agricultura sustentável e o desenvolvimento rural pode gerar resultados positivos e visíveis”, afirmou.

Com uma agenda cheia por vários encontros com representantes da Comissão Europeia, Kátia Abreu disse que espera “dissolver os impedimentos com as autoridades sanitárias europeias e levar adiante um acordo sanitário entre a UE e o Brasil para que possa haver facilitação entre o fluxo de comércio e que a carne suína brasileira chegue logo ao mercado europeu”.

A ministra participou no dia 24, em Paris, da 83ª Sessão Geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), na qual os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul foram oficialmente reconhecidos como áreas livres de peste suína clássica.

De Bruxelas, Kátia Abreu segue para Genebra com a agenda do multilateralismo e a conclusão da Rodada de Doha. “Darei uma mensagem inequívoca de que o Brasil deseja o fortalecimento do sistema multilateral de comércio incorporado na OMC, a plena integração da agricultura no sistema multilateral e a conclusão da Rodada Doha, disse a ministra.

“A agricultura brasileira, no entanto, não aceitará uma rodada comercial com resultados minimalistas em agricultura”, finalizou.

A viagem oficial faz parte de uma série de compromissos que visam promover o agronegócio brasileiro. De Genebra, a ministra passará por Londres.