Citrosuco, a maior produtora de suco de laranja do mundo, adere à EUBrasil

Citrosuco-Primary-CMYKCitrosuco, a maior produtora de suco de laranja no mundo, adere à associação como membro da área de negócios.

A Citrosuco vai participar de eventos e atividades da associação e vai ter um representante no Conselho Administrativo da EUBrasil.

O diretor de vendas da Citrosuco, Tim Kaden, considera consistente o trabalho que tem sido realizado pela Associação, entre eles a ideia de colocar grandes empresas juntas para discutir questões relevantes, como por exemplo a redução das barreiras comerciais. «Existem interesses em comum de ambos os lados a serem discutidos com objetivo de remover restrições desnecessárias, porque nós não precisamos delas em nossos negócios e ações como estas são importantes para nos ajudar a repensar e fazer algo em prol da
melhoria do diálogo político e econômico entre Brasil e UE», completa Kaden.

A Citrosuco é responsável pela produção de 22% de todo o suco de laranja consumido mundialmente, exportando para mais de 100 países e processando mais de 40% de todo o suco de laranja produzido e exportado pelo Brasil.

O suco de laranja produzido pela Citrosuco é guardado em grandes tanques de aço inoxidável em dois terminais portuários de Santos. Depois é transportado pela frota de cinco navios da Citrosuco para um dos outros cinco terminais pertencentes à companhia – dois na Bélgica, um nos EUA, um na Austrália e um no Japão.

Comprometida com a preservação do meio ambiente e operando de forma responsável, a Citrosuco investe constantemente em pesquisa e uso de novas tecnologias. Utilizando indicadores de desempenho, a companhia monitora sua eficiência em relação às principais áreas de impacto ambiental (consumo de energia, água, materiais e matéria-prima e redução de resíduos) e da matriz de risco ambiental (consistindo em um sistema de controle para assegurar que se cumpra ou exceda os requisitos regulatórios).

“Estamos orgulhosos de ter um dos mais importantes produtores de suco de frutas do mundo como um novo membro da Associação. O agronegócio é um dos setores mais importantes e estratégicos nas relações comerciais entre Brasil e UE. Nosso objetivo é apoiar o desenvolvimento de relações comerciais bem sucedidas entre o Brasil e a UE e é muito importante saber que uma empresa como a Citrosuco compartilha nossas metas “, diz Luigi Gambardella , presidente da EUBrasil.

A balança comercial brasileira em 2014 foi a pior desde 2000, a demanda do consumidor impulsionou as importações e o lento crescimento global reduziu as vendas no exterior.

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o agronegócio foi responsável por 43,3 % das exportações do Brasil em 2014, com um total de US$ 89,98 milhões entre janeiro e novembro, 3,8% abaixo do mesmo período em 2013.

“Além dos efeitos de um crescimento global mais lento, as barreiras tarifárias e não tarifárias são outro problema que precisa ser tratado para melhorar as relações comerciais entre o Brasil e a UE”, diz Gambardella.

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a UE é um importante destino para os produtos brasileiros, com 22,2% indo para a região. No entanto, alguns produtos agrícolas, ainda enfrentam barreiras na UE. CNA Conduzido um mapeamento ou produtos e afetado pelo impacto da escalada tarifária que vai fazer a entrada ou a alguns produtos transformados em comparação com as matérias para a UE. “A escalada tarifária constitui um obstáculo ao comércio entre o Brasil e a UE”, diz o estudo da CNA.

Sobre a Citrosuco:
A companhia foi criada em 2012 com a fusão entre a Citrosuco (do Grupo Fischer) e Citrovita (do Grupo Votorantim). Com uma receita anual de aproximadamente US$1,3 bilhões, três plantas de processamento no Brasil e uma nos EUA, com 6 mil funcionários (10 mil na época de colheita), a companhia cria larga reserva de moeda estrangeira para o Brasil.