Os mercados e as políticas externas de Dilma Rousseff e Aécio Neves

bandeira-do-brasil
Autor: Kenneth Maxwell

Os mercados já se decidiram quanto ao segundo turno. A Bolsa de Valores de São Paulo sobe quando Dilma cai, e cai quando Dilma sobe. Há algum tempo os mercados queixam-se das políticas “intervencionistas” do atual governo. E o Brasil sob Dilma tem um relacionamento agitado com o mundo, envenenado pelas revelações de Edward Snowden de que a Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA grampeava o celular da presidente, o que a levou a cancelar uma visita oficial aos EUA.

A política externa de Dilma cabe em larga medida ao professor Marco Aurélio Garcia. Oponente radical do regime militar, foi um dos fundadores do PT, coordenou as campanhas de Lula (1994, 1998, 2006) e foi um dos organizadores do “Fórum de São Paulo”, uma reunião de movimentos esquerdistas da América Latina e Caribe.

Leia mais