PROGRESSO NO BRASIL AINDA É LENTO, DIZ ECONOMIST

bandeira-do-brasilO Brasil é um dos países mais desiguais do mundo, onde a renda dos 10% mais ricos da população é 38 vezes maior do que a dos 10% mais pobres, de acordo com o The Economist, de 21/09. Na Polônia, ainda segundo a publicação, com renda média similar a do Brasil, a renda dos ricos é oito vezes maior do que a dos pobres.
Apesar deste dado preocupante, continua o The Economist, o Partido dos Trabalhadores (PT), que está no poder desde 2003, afirma que a desigualdade de renda no Brasil tem caído consideravelmente. O governo baseia esta informação nos dados da pesquisa realizada em 2013 sobre renda familiar e publicada na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tendo como amostra um grupo composto por 150 mil famílias. A pesquisa mostrou que houve uma ligeira diminuição da desigualdade no Brasil. O índice de Gini, calculado a parir da renda domiciliar e que mede a desigualdade, passou de 0,499 em 2012 para 0,497 em 2013.
Apesar de alguns dados serem preocupantes, não se pode negar os avanços que o Brasil apresenta, entre eles o fato de que a proporção de famílias com acesso à internet subiu para 43% em 2013, comparado a 40% no ano anterior. Outro fator positivo é que todas as crianças entre 6 e 14 anos estão frequentando a escola e pela primeira vez na história a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura declarou que o Brasil está livre da fome.