UE define novos limites de cádmio em alimentos

Credito: CC CyclonebillA Comissão Europeia (CE) adotou na segunda-feira, dia 12, um regulamento que estabelece limites máximos de resíduos de cádmio em chocolates, produtos à base de cacau e alimentos destinados a lactentes e crianças jovens comercializados nos países membros. A medida foi adotada após notificação científica da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (AESA) recomendando a redução do metal pesado presente em alimentos.

A legislação da União Europeia já previa limites de cádmio em diversos alimentos desde 2001. O objetivo agora é incluir restrições para esses novos produtos a fim de proteger a saúde de crianças e adolescentes, tidos como mais vulneráveis.

Foram estabelecidos três valores limites para chocolates e um limite para o cacau em pó a serem adotados a partir do dia 1º de janeiro de 2019. No caso dos alimentos infantis, as regras deverão ser aplicadas a partir de 1º de janeiro de 2015. Para outros alimentos, tais como cereais e vegetais, a CE adotou uma redução progressiva dos níveis de exposição.

O cádmio é um metal pesado proveniente de fontes industriais e agrícolas, mas existente também em estado natural. A acumulação desse metal no corpo humano pode causar problemas de saúde, como por exemplo, insuficiência renal.