União Europeia contesta proibição suína russa na OMC, abrindo mercado para produtores brasileiros

A União Europeia (UE) abriu na terça-feira, dia 8, uma disputa contra a Rússia na Organização Mundial do Comércio (OMC) contestando a proibição da entrada de carne suína europeia naquele país. A Rússia fechou suas fronteiras para a carne suína europeia e seus derivados em janeiro, quando autoridades fitossanitárias russas detectaram casos de febre suína africana em amostras de carne de javali.

Prejuízo europeu

O prejuízo para os produtores europeus é a principal motivação da entrada da UE contra a Rússia na OMC, já que 25% da todas as suas exportações vão para aquele país. O bloco havia tentado resolver o problema com discussões bilaterais, oferecendo excluir das exportações quaisquer produtos provenientes da área afetada, mas os negociadores russos não aceitaram a oferta.

Oportunidade para o Brasil

A disputa com a UE pode ser benéfica para os produtores de carne suína brasileiros, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), já que a Rússia é a principal compradora de carne suína do Brasil, com 29,77% do volume exportado no mês de março e já vinha indicando que poderia aumentar suas compras do produto. “A Rússia informou, na semana passada, que habilitou mais uma unidade exportadora de suínos no Rio Grande do Sul”, disse Rui Eduardo Saldanha Vargas, vice-presidente da ABPA.