O Brasil e a Internet do Futuro: a UIT tem os “faróis acesos” nas novas regras.

O Brasil e a Internet do Futuro: a UIT tem os “faróis acesos” nas novas regras.

Internet do futuro: o Brasil está se preparando para a Conferência WCIT 2012 da UIT em Dubai.

O Brasil também, como os países BRICS, está preparando a sua posição sobre um argumento essencial para o futuro da rede: a revisão das regras globais em matéria de telecomunicações, que será discutida na Conferência Mundial das Telecomunicações Internacionais, este dezembro em Dubai.

Um novo modelo de negócios para na Internet baseado em acordos comerciais entre as empresas e um novo modelo para as interconexões de rede IP: estes os requerimentos da Associação Europeia dos operadores de telecomunicações (ETNO) apresentados na UIT, a Agência das Nações Unidas especializada em telecomunicações. Esta proposta de alteração das regras de telecomunicações internacionais (ITR) levantou um grande interesse e criou um debate global sobre este tema.

Os ITR, revisados pela última vez em 1998, foram o framework que facilitou o desenvolvimento global dos serviços internacionais de telecomunicação nos últimos dez anos.

Com a sua rápida evolução, a Internet tornou-se uma infra-estrutura crítica para a nossa vida económica e social: os novos serviços possibilitados pela Internet estão mudando o cenário econômico e a natureza da indústria de telecomunicações, levantando importantes questões regulamentares, técnicas e econômicas.

E’ por isso que é de extrema importância assegurar o desenvolvimento sustentável do setor, essencial para garantir os investimentos necessários em infra-estruturas globais de telecomunicações do futuro.

Os “International Telecom Regulations”, o tratado sob revisão pela UIT, serão o tema principal da Conferência Mundial sobre as Telecomunicações Internacionais, este dezembro em Dubai.

Este tratado vai ter que reconhecer os novos desafios da economia da Internet, os princípios que a compensação justa seja recebida pelo tráfego transportado e que os os proveitos das operadoras não sejam desconectados das necessidades de investimento causadas pelo rápido crescimento do tráfego da Internet.

O ITR deve ser suficientemente flexível para facilitar ainda mais o crescimento e o desenvolvimento sustentável do mercado de telecomunicações, de acordo com os princípios orientadores que levaram ao desenvolvimento bem sucedido da Internet: liderança do sector privado, governance independente de todas as partes interessadas e acordos comerciais.

Fonte: EUBrasil